Ao contrário do que muitos pensam, ser igual a maioria não é bom. Fazer parte da massa, para se sentir confortável, não vai te levar a lugar algum. Se você quer realmente ser alguém de sucesso, independentemente de qual área for atuar, saiba que deverá ser diferente da maioria. Os motivos? Simples! A massa está estacionada, é inerte, preocupada apenas em seguir os padrões e se ocupa de coisas irrelevantes para evitar ao máximo sair da zona de conforto.

A zona de conforto é o seu pior inimigo. Eu sei bem disso. Se eu não ousasse, se eu não deixasse minha zona de conforto, eu jamais teria conseguido ingressar numa universidade, muitos menos em um mestrado. Foi justamente a ousadia de me libertar da zona de conforto, que me tirou da roça e hoje está me levando ao doutorado.

Deixe-me dar um exemplo bem interessante de como você não deve ser como a maioria. Se você observar a sua sala de aula na época da escola, verá que a grande maioria dos alunos não participava e não fazia perguntas, mesmo que o professor tivesse uma ótima didática e fosse empolgado. O mesmo acontece na universidade. Mas isso é pior! Na escola você é obrigado a ser bom em disciplinas que você odeia, isso pode até justificar a sua falta de interesse em algumas matérias. Entretanto, se você está matriculado em uma universidade, você está pagando (ou o governo está) para aprender sobre os principais pontos importantes da sua futura profissão, e deveria participar ativamente de tudo. Se a pessoa não participa das aulas que se referem a sua futura profissão, é óbvio que ela não será uma boa profissional, e como consequência, será desempregada.

“Ok, Guellity. Se eu participar de todas as aulas, então, eu vou garantir o meu emprego?”, você deve se perguntar. E eu lhe respondo: absolutamente, não!

Por mais que a maioria não participe das aulas ativamente, todos fazem os mesmos trabalhos, as mesmas provas, as mesmas atividades, seminários, e todos podem conseguir tirar boas notas. Existem pessoas tímidas ou que não precisam participar ativamente das aulas para entender e aprender o que está sendo ensinado (embora sejam minoria). Mas não basta simplesmente você participar das aulas! Na verdade o ‘segredo’ está no que você faz além disso. Afinal, seguir à risca todas as obrigações da sua universidade não é mais que a sua obrigação! Fazendo isso, você terá uma formação simples, baseada apenas no que fez por obrigação, e estará sendo como a massa. A massa só faz o que é obrigação e se distancia dos desafios, da inovação.  Se você quiser ter sucesso, você deve pensar no que fará além das obrigações, no que vai aprender por conta, no que ousará encarar e desbravar na cara e na coragem.

A maioria dos graduandos, por seguirem as obrigações da universidade, esperam conseguir com isso um ótimo emprego e salário. Mas se todos estão fazendo a mesma coisa e esperando o emprego chegar, é óbvio que algo tem de dar errado! Porque é assim que funciona, a massa nunca inova ou consegue sair do padrão convencional, e sempre é prejudicada pelos próprios atos (ou pela falta deles). Então, seja a diferença! Seja sempre diferente da massa. Se você sentir que não está tendo nenhum desafio, que simplesmente as coisas estão acontecendo sem lhe deixar cheio de dúvidas, preocupado ou então muito motivado, inspirado, cheio de vontade de fazer coisas novas, ir além, pode ter certeza que você está fortemente imergido na massa. Vaze logo dessa situação! Só os inovadores, destemidos, desbravadores, conseguem ótimos empregos. Se quer vencer, seja um deles!

Quer ter uma carreira promissora Não seja como a maioria

Abaixo vão algumas dicas que poderão te ajudar a sair da zona de conforto e deixar a massa estacionária para trás, impulsionando sua ascensão acadêmica e sucesso profissional:

  1. Você passa 24 horas, praticamente, conectado nas redes sociais e navegando na internet. Por que diabos você não envia emails para os caras mais fodas da biologia, pedindo dicas, conselhos e orientação? Pense só, você pode contatar biólogos incríveis, pode fazer amizades, parcerias e aprender muito com a experiência deles. 

2. Se você fosse jogar futebol, você não iria construir uma rede de contatos com amigos e colegas que sempre iriam jogar futebol com você? Então! O mesmo vale para a sua formação! Faça uma rede de contatos com pessoas que buscam a mesma coisa que você, para que possam trocar experiências e informações. Nessas redes, vocês podem trocar livros, fazer listas de exercícios juntos, abrir diversos tópicos de discussões sobre os mais variados temas relacionados ao que buscam. Enfim, ter pessoas próximas com o mesmo objetivo é muito promissor.

3. Faça uma Networking e invista no seu marketing pessoal. É como eu disse, se você seguir as obrigações e for igual à todo mundo, você terá uma formação simples, padrão. Porém, se investir na sua rede de contatos e no seu marketing pessoal, você irá ir além da maioria e as oportunidades serão consideravelmente maiores e melhores. Através destas redes (que podem ser feitas no facebook, twitter, fóruns, etc), você pode aprender muito e também ensinar, aprimorando suas habilidades e acrescentando valor à sua imagem.

4. Não seja aquele aluno desagradável que sai correndo da aula quando acaba o último tempo. Seja um aluno interessado, que procura o professor depois da aula para tirar dúvidas e pedir conselhos ou recomendações de materiais relacionados ao que você está interessado em aprender. Aproveite a experiências de todos os seus professores e peça dicas para ser um bom estudante e futuro profissional. Não há nada demais em ser humilde e pedir por conselhos de pessoas que já passaram por tudo aquilo que você irá futuramente passar. Seja esperto!

5. Procure saber sobre as oportunidades de estágios e trabalhos voluntários nas áreas que você tem interesse. Use a internet para isso! Não fique esperando de boca aberta o estágio obrigatório chegar. Não seja arrogante e nem prepotente. Se souber de oportunidades legais, divulgue para seus amigos também. Não guarde tudo para você, com medo de perder a vaga. Isso é feio e totalmente desnecessário. Por mais que você esteja fazendo algo que a maioria não faz, não custa nada compartilhar! Se você for bom o suficiente, será selecionado mais cedo ou mais tarde. Além disso, se espera colher bons frutos, devem semear coisas boas! O egoísmo não combina com o sucesso.

6. Comece o quanto antes a focar nas áreas que você gosta. Procure materiais em inglês, para já ir treinando suas habilidades com esta língua. Não fique esperando para chegar no último ano do curso e escolher uma área de atuação do dia para a noite. Se já tem um grande interesse em uma área, invista nisso. Eu, por exemplo, sempre quis ser biólogo de vida selvagem, e ainda no segundo ano do curso já fiz contato com os pesquisadores que hoje estão me orientando no mestrado. Seja ativo! Se quer muito algo, mergulhe nisso e vá na cara e na coragem.

7. Nunca aceite um ‘não’ como resposta. Não aceite as adversidades da vida. Se ouvir não uma vez, trabalhe nisso para evitar que a próxima resposta seja a mesma. Aprenda com os seus erros e nunca tenha medo de errar! O medo só irá te atrapalhar. Mais vale errar e aprender com os erros, do que ficar eternamente inerte, sem fazer nada de ousado!

8. Não reclame, jamais, em hipótese alguma, do seu TCC ou das demais atividades que deverá fazer durante o curso. Recebo constantemente diversas mensagens de pessoas desesperadas procurando ajuda com o TCC, pois deixaram para a última hora. A maioria dessas pessoas reclamam e xingam o TCC, que é justamente um trabalho importantíssimo que devem apresentar para finalizar o processo de formação profissional. Isso é um absurdo! Se a pessoa acha ruim desenvolver um trabalho para concluir o curso, e leva tudo nas coxas, é de se esperar que ela será uma péssima profissional. São exatamente essas pessoas que ficam difamando a biologia por estarem desempregadas e frustradas.

9. Aproveite seu tempo livre para estudar e aprender coisas novas. Ao invés de ficar horas e horas no facebook, vá ler um livro diferente e inspirador, como O Gene Egoísta (um dos livros mais revolucionadores da biologia, de Richard Dawkins), Fome de Saber (biografia de Richard Dawkins), Cartas a um Jovem Cientista (Edward O. Wilson conta como se tornou o maior especialista em formigas do mundo), e tantos outros.

10. Você não precisa se esforçar para ser diferente da massa. Se biologia for o que realmente você ama, você deve naturalmente se permitir ser mais curioso, interessado e comprometido com a sua formação. Não espere nada de ninguém, batalhe para conquistar o seu lugar no mercado de trabalho. A maioria das pessoas da sua turma tenderá a falhar, por depositarem as esperanças na universidade, no processo de formação em si, evitando encarar desafios e novos caminhos por conta própria. Ser diferente da maioria é ser ousado o suficiente para construir o seu caminho na perseverança, inspirado em tudo aquilo que te deixa feliz e realizado pessoal e profissionalmente.

Lembre-se sempre que ser normal, para não sair da zona de conforto, não é legal! Afinal, se não fossem os anormais (como Aristóteles, Platão, Einstein, Newton, Tesla, Darwin, Lamarck, Watson e Crick e tantos outros grandes pensadores e pesquisadores), não teríamos tudo que temos hoje, porque a massa se manteria na zona de conforto a vida inteira. Se dependêssemos da massa, provavelmente estaríamos na idade das pedras ainda.

Como sei que todo biólogo tem um grande sonho de mudar o mundo, o melhor conselho que posso dar é que sejam o mais anormal que puderem ser. Não sejam inertes, nunca. Ajam!