Das mais de 6.000 espécies de algas vermelhas, a maioria varia em tons de vermelho, avermelhado ou acastanhado.

As algas vermelhas são protistas no filo Rhodophyta, e variam desde organismos simples unicelulares até organismos complexos, multi-celulares e semelhantes a plantas. Todas as algas obtêm energia através da fotossíntese, mas uma coisa que distingue as algas vermelhas das outras é que suas células não possuem flagelos.

COMO AS ALGAS VERMELHAS RECEBEM SUA COR

Quando você pensa em algas, você pode pensar em algo verde ou marrom. Mas o que dá às algas vermelhas uma tonalidade próxima do vermelho?

As algas vermelhas contêm uma variedade de pigmentos, incluindo clorofila, ficoeritrina vermelha, ficocianina azul, carotenos, luteína e zeaxantina. O pigmento mais importante é a ficoeritrina, que fornece a pigmentação vermelha dessas algas refletindo luz vermelha e absorvendo a luz azul.

Nem todas essas algas são de cor avermelhada, no entanto, aquelas com menos ficoeritrina podem parecer mais verdes ou azuis do que vermelhas devido à abundância de outros pigmentos.

HABITAT E DISTRIBUIÇÃO

As algas vermelhas são encontradas em todo o mundo, de águas polares a tropicais, e são comumente encontradas em piscinas naturais próximas da costa e em recifes de corais. Também podem sobreviver em regiões mais profundas do oceano, mais até do que algumas outras algas, porque a absorção da ficoertrina através das ondas de luz azul, que penetram mais profundamente na água, permitem que as algas vermelhas realizem fotossíntese em maiores profundidades.

CLASSIFICAÇÃO

  • Reino: Protista
  • Filo: Rhodophyta 

ESPÉCIES DE ALGAS VERMELHAS

Dentre as algas vermelhas mais conhecidas, podemos citar as algas Nori, Dulce, Laver, Carragena e também as algas Corallinales, que são mais comumente encontradas associadas aos corais.

As algas Corallinales ajudam a criar recifes de corais tropicais. Estas algas secretam carbonato de cálcio para construir uma casca dura em torno de suas paredes celulares. Existem duas formas verticais de algas Corallinales, as que são muito parecidas com os corais e, as formas incrustantes, que crescem como uma esteira sobre estruturas duras, como rochas e conchas de organismos como ostras e caracóis. As algas Corallinales são muitas vezes encontradas em áreas mais profundas do oceano, na profundidade máxima que a luz azul pode alcançar.

USOS NATURAIS E HUMANOS DE ALGAS VERMELHAS

As algas vermelhas são uma parte importante do ecossistema porque são consumidas por peixes, crustáceos, gastrópodes e uma série de outros organismos – sendo também consumidas por seres humanos.

Alga dulce: nem sempre as algas vermelhas de fato apresentam essa tonalidade.

A alga conhecida como Nori, por exemplo, é usada em sushi. Ela torna-se escura, quase preta, quando seca e com um tom verde quando cozida. O musgo-irlandês ou a alga Carragena, é um aditivo usado em alimentos, incluindo pudim e para a produção de algumas bebidas, como leite de nozes e cerveja.

Alga nori: muitas vezes as condições de cultivo em massa alteram a absorção de luz pela alga, o que a deixa com tonalidades verde e escura. As algas vermelhas variam de tons avermelhados a castanho e quando secas podem escurecer.

As algas vermelhas também são usadas para produzir ágares, que são substâncias gelatinosas usadas como complemento alimentar e em laboratórios de ciência como meio de cultura. São ricas em cálcio e às vezes são usadas em suplementos vitamínicos.

Fonte: Thought.co.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorTipos de RNA
Próximo artigoFatos Essenciais Sobre a Terra
Guellity Marcel
Biólogo de vida selvagem, mestre em Ecologia e Conservação e apaixonado por ciência e tecnologia. Tem interesse em ecologia de populações, ecologia do movimento, ecologia de paisagem e efeitos de mudanças climáticas na biodiversidade, especialmente em áreas úmidas. Atualmente trabalha com mamíferos de médio e grande porte (cervo, veado-campeiro, veado-mateiro, queixada) e jacarés em parceria com pesquisadores da Embrapa Pantanal.